terça-feira, 5 de janeiro de 2010

[Os Gibichungs...]

[Brunhild beija o Anel dos Nibelungos]

[capítulos anteriores...]
[1] Brunhild- A valkyrja que desafiou Odin
[2] Mas o que aconteceu à Sieglind?
[3] O encontro entre Siegfried e Brunhild


No grande salão imperial dos Gibichungs, no feudo regido pelo rei Gunther, acontecia uma reunião familiar. Nele estavam reunidos o rei, sua irmã Gutrune e o meio irmão dos dois, Hagen, o filho do anão Alberich e da rainha. Todos estão envolvidos numa discussão sobre como almentar o poder e as riquezas que já possuem em larga escala. Hagen, o filho do anão, tenta convencer seus irmãos, aparentando ele próprio estar completamente desinteressado em qualquer ganho pessoal, de que eles poderiam melhorar sua aparência diante do grande quadro da estirpe dos Gibichungs (os filhos de Gibich).

Hagen propõe que Gutrune se case com o herói Siegfried, pois esse seria um casamento afortunado, visto que nas veias de Siegfried supostamente corria sangue divino.
E para Gunter, Hagen propõe que este se case com Brunhild, ela própria uma ex-valkyrja, detentora dos tesouros que seu amante Siegfried deixara para ela.

Ora! Mas todos sabiam que Brunhild e Siegfried era amantes, e que um não deixaria o outro por qualquer pessoa que seja, fosse rei ou rainha. Indignaram-se então, Gutrune e Gunther, com seu irmão Hagen, por estar-lhes criando ilusões e desejos impossíveis.

-Impossível isso....impossível aquilo.- diz Hagen, quase perdendo a compostura. - E se vos disser que graças à meu pai tenho em meu poder uma poção capaz de fazer Siegfried esquecer-se de Brunhild? Tendo Siegfried esquecido sua amada, nós ofereceremos a mão de Gutrune para que ambos se casem! Siegfried não a recusará, pois Gutrune é uma bela mulher e possui muitas riquesas e um reino!

-Bem, e quanto a mim?- perguntou Gunther, ele próprio sem poder escutar muito tempo sobre a felicidade alheia sem antepor a sua própria.

-Tendo casado com Gutrune, peça-lhe que vá em busca de Brunhild e a traga para vós! Apenas ele pode atravessar o anel de fogo que Loki ali deixou para protegê-la. Então casando-vos com Brunhild, herdarás seu tesouro!

Gunther e Gutrune ficaram então mais esperançosos com os planos de Hagen...

-Mas como faremos para encontrá-lo? Dizem que ele anda atrás de aventuras pelo mundo.
-Siegfried está prestes a chegar às terras do Reno. Não demora muito e ele baterá em nossos portões. Fiquem atentos para que quando ele chegar, possamos fazer-lhe uma bela recepção. Gutrune o receberá com uma taça da poção que o fará esquecer Brunhild e se apaixonar perdidamente por Gutrune. Uma vez rendido seu amor, basta apenas convencê-lo para que traga Brunhild para Gunther, e junto com ela seu tesouro.

"quanto a mim..., pensa Hagen,...terei em minhas mãos o Anel dos Nibelungos...."

A reunião se encerra desta maneira, cada um dos irmãos partindo para seus quartos, felizes. Mas o mais feliz de todos é sem dúvida Hagen...vendo frutificar seus planos ardilosos.

E então mais uma vez a roda do destino gira pela ambição do Anel...e apenas o mal pode advir disso...
[Gutrune oferece a taça à Siegfried]

Siegfried é então recebido com todas as pompas de um herói. Adimirado com toda a festa e cortejo ele se dirige ao rei. Mas é Hagen quem fala primeiro com ele, dando as boas vindas:
-Salve grande Siegfried! Bravo herói dos germanos!
-Seja bem vindo ao meu reino! São suas estas terras, meu castelo e meus vassalos!- diz cortezmente Gunther.
Siegfried então, reconhecendo a majestade do rei, curva-se sem nenhum constrangimento, feliz por toda a recepção...sentindo-se pela primeira vez reconhecido como um grande herói.

-Soberando, nada tenho em meu poder para oferecer-vos, a não ser meu braço e minha espada.
Hagen sem poder se conter se adianta e pergunta:
-Mas e o tesouro? Não é então verdade que você derrotou o dragão Fafner e tomou posse do tesouro dos Nibelungos?
-Ele nada significa para mim- diz Siegfried, indiferente- Deixo-o na caverna aos cuidados de minha amada Brunhild.
-Mas nada trouxe consigo do fabuloso tesouro?
-Apenas este elmo, mas não posso usá-lo.
-Apenas este elmo? -exclama Hagen estupefato.- Este é o famoso elmo de Tarn! Que pode metamorfosear seu dono em qualquer coisa que o deseje! Foi graças a ele que Fafner pode se metamorfosear no dragão que você derrotou! Além disso pode levá-lo aonde quiser e ainda acha isso pouca coisa?!

Siegfried parecia alheio ao falatório de Hagen...preferia ficar observando maravilhado a natureza e o povo que o recebia com tanta alegria. -Então sou tão grande assim?- pergunta-se ele, sem poder acreditar no próprio sucesso.

-E o que mais trouxe do tesouro?- pergunta Hagen, retirando Siegfried de seu momento de alegria.- Por acaso não achou um pequeno anel?
-Ah sim, mas deixei-o com Brunhild em penhor do meu amor.

Siegfried é conduzido pelo cortejo ao salão do trono, cercado sempre por Gutrune e Hagen, que não o deixavam só. Durante a recepção, Gutrune se adianta e lhe oferece uma taça:
-Beba valoroso herói! Aceite das mãos de uma princesa esta taça de olorosa bebida.- diz ela pondo todo encanto em sua voz.- Beba-a em homenagem a sua amada Brunhild.

Por um momento Siegfried pensa em sua amada e então bebe da taça. Mas esta não é outra senão a poção maligna de Hagen. Ele se sente um pouco tonto e logo suas lembranças de Brunhild desaparecem, ficando apenas diante de si a imagem da bela Gutrune.

-Vejo que se agradou de minha irmã.- exclamou Gunther. Siegfried não responde, mas seu sorriso o denuncia.
-Eu também trago meu coração inquieto, meu amigo, e anseio por conquistar uma bela mulher, da mais nobre estirpe que possa haver, visto que é filha de um deus!- começa Gunther.
-Filha de um deus....-sussurra Siegfried, ainda grogue do efeito da bebida enfeitiçada.
-Sim, ela vive num rochedo cercada por um fogo mágico...-continua.- Apenas um herói pode atravessá-lo. Se você me ajudar a conquistá-la, Siegfried, eu estaria disposto a recompensá-lo com o bem que mais desejasse!
Siegfried observa Gutrune colocada estratégicamente à sua frente.
-Eu o ajudarei, nobre Gunther, a desposar esta mulher- responde Siegfried por fim.- Usarei o elmo mágico e me metamorfosearei em ti e a conquistarei!

E assim Hagen se adianta para selar o pacto com o sangue de Gunther e Siegfried. No mesmo dia eles seguem Reno acima enquanto Hagen fica a esperar com Gutrune no castelo o regresso.
Sozinho na sala do trono, Hagen, o filho do nibelundo, entrega-se aos seus planos malignos e ao prazer de ver que tudo está saindo como o planejado:
-Em breve meus irmãozinhos estarão com suas aliançazinhas idiotas....mas eu terei em meu dedo, finalmente, o anel dos nibelungos!

[continua...]

Um comentário:

([salix sam]) disse...

my precioussssssssss